25 anos de Ala dos Namorados

por , 9 Outubro, 2018

São um nome incontornável da música portuguesa. No dia 13 deste mês prometem uma grande festa, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, para assinalar um quarto de século. Saiba tudo o que pode esperar.

POR: Xavier Pereira

 

CRISTINA – Passaram 25 anos. Como serão as comemorações?

ALA DOS NAMORADOS – A tour dos 25 anos da ALA tem um alinhamento transversal à carreira do grupo. Para além das canções “incontornáveis” da ALA, vamos incluir muitas das canções que mais gostamos de tocar ao vivo, e que são, para nós, representativas da nossa música. Esta é a melhor forma de comemorar estes 25 anos de vida musical em conjunto. E claro, o concerto de dia 13 de Outubro no Coliseu vai ser um acontecimento muito especial para nós!

 

CRISTINA – Vão ter muitos convidados, mas, no fundo, o que vamos presenciar é um encontro de amigos, certo?

ALA DOS NAMORADOS – Sem dúvida um encontro de amigos. Estarão connosco os Shout, Rui Veloso, Carlão, António Zambujo, João Gil e Moz Carrapa e temos ainda mais surpresas! Todos eles já trabalharam connosco, e é para nós muito interessante sentir como estes músicos, com estilos e universos tão diferentes, vêm ao nosso mundo e se sentem absolutamente “em casa”.

 

CRISTINA – Ala dos Namorados é, precisamente, sinónimo de encontro de diferentes estilos musicais. Os convidados desta noite também seguem esse preceito. Foi uma preocupação vossa?

ALA DOS NAMORADOS – Estes nossos ilustres convidados, tal como outros que já estiveram connosco, são músicos e cantores que muito admiramos e com personalidades e estilos artísticos muito fortes e diferentes. É fantástico poder tocar com o Carlão, com o António Zambujo ou com os Shout, todos eles de universos tão distintos e que convivem na perfeição com o som da ALA, trazendo obviamente as suas características, mas sem que nunca se perca a personalidade da ALA. Ao fim destes anos, acreditamos que há uma universalidade grande na nossa música, que nos permite a “mistura” com artistas diferentes, sem que nada se descaracterize. A música é uma arte por excelência, que permite quase todas as misturas.

 

 CRISTINA – O Coliseu de Lisboa será o palco desta comemoração. É especial atuar numa sala tão icónica?

ALA DOS NAMORADOS – Claro. O Coliseu é uma espécie de “cereja no topo do bolo” desta nossa tournée dos 25 anos. É realmente uma sala muito especial!

 

CRISTINA – As vossas músicas atravessam gerações. Estão à espera de encontrar pais e filhos na assistência?

ALA DOS NAMORADOS – Claro que sim. Nos nossos concertos vemos na assistência público de várias gerações. Há canções que, de alguma forma, entraram no imaginário das pessoas. As nossas canções e a forma como as apresentamos podem ser a razão, e é para nós uma satisfação ver pais, filhos, e por vezes avós, na audiência!

 

CRISTINA – Depois de apresentarem as novas músicas ao vivo, podemos contar com um novo trabalho discográfico?

ALA DOS NAMORADOS – A ALA gravou desde 2013 três discos. Tencionamos gravar o concerto do Coliseu para posterior edição e incluir nesse disco algumas faixas que gravamos em estúdio e que nunca foram editadas em CD, mas será sempre para 2019.

 

CRISTINA – Depois de 25 anos e depois deste concerto, a 13 de Outubro, o que se segue?

ALA DOS NAMORADOS – Nós gostamos muito de tocar ao vivo. No palco, a música é um momento que é sempre único e irrepetível. Essa é mesmo uma das razões que nos faz continuar a tocar sem quase sentir a passagem do tempo. Os 25 anos trouxeram-nos, logicamente, um amadurecimento grande, mas cada concerto é mesmo um momento único. Esperamos ter uma próxima época com muitos concertos.

 

CRISTINA – Numa frase, e para terminar, a Ala dos Namorados é…

ALA DOS NAMORADOS – Ora aqui está uma pergunta que não é nada fácil, mas numa frase, (ou duas…), a ALA é um grupo de músicos que gosta de estar na música de várias formas. Desde o acto de composição,  aos arranjos e gravação com os fantásticos músicos com quem temos trabalhado ao longo dos anos, aos concertos que temos feito, é realmente o que nos mantém vivos como grupo musical e daí retiramos muito prazer. Enquanto passarmos esse mesmo prazer às pessoas, através da nossa música, não vamos com certeza parar! A ALA é isso mesmo.

 

  • Comentários

    Artigos relacionados