5 livros para se conhecer melhor

por , 30 Novembro, 2017

Não é que estejamos a afirmar que esta época do ano seja stressante, ou até mesmo um caos, e que existe uma certa necessidade de nos encontrarmos. Na verdade isso pode acontecer. E com o fim do ano à espreita, a necessidade de pararmos pode ser ainda maior. Experimente ler um dos cinco livros, ou ofereça a um amigo. Afinal, todos nós devemos conhecer-nos melhor.

– SER FELIZ NO ALASCA, Rafael Santandreu 

«Em que nos tornaremos depois de aplicar o que é apresentado neste livro? Nada mais nada menos que em pessoas especiais: extremamente fortes e saudáveis.» Um dos psicólogos mais prestigiados de Espanha regressa com uma obra que promete “mentes fortes contra ventos e marés”. 

– PAIS CONSCIENTES, FILHOS FELIZES, Jon & Myla Kabat-Zinn

Neste livro, dedicado a nós, pais, Myla e Jon Kabat-Zinn explicam porque nos devemos libertar dos medos e dos desejos pessoais para estarmos completamente disponíveis para os nossos filhos, em todas as fases das suas vidas. Mostram como usar os três pilares – soberania, empatia e aceitação. Ensinam-nos a aceitar os nossos filhos tal como eles são e não como gostaríamos que fossem. 

– SLAJ, John Parker Smith

SLAJ ensina ao leitor o caminho do autoconhecimento profundo e, com ele, uma nova forma de conduzir a realidade a seu favor, conseguindo sempre uma solução para pequenas e grandes crises, tanto na vida pessoal como profissional. 

– QUEM NUNCA MORREU DE AMOR, Eduardo Sá

Cuidado com o que se procura num livro de amor. Porque arriscamo-nos a encontrar, no espelho das páginas, a nossa própria história, as relações que tivemos, os homens ou as mulheres que amámos (e que ainda hoje nos visitam, quando à noite se aninham nos lençóis da memória).

AUTOCONTROLO, Augusto Cury 

Este livro revela os segredos para gerir o stresse e desenvolver o autocontrolo, essencial para uma vida emocional saudável e plena. Além disso, apresenta a diferença entre ansiedade e stresse, explicando que são ambos essenciais para a sobrevivência humana, mas que, como tudo na vida, precisam de ser doseados.

  • Comentários

    Artigos relacionados