A depressão nos homens

por , 28 Agosto, 2019

A doença pode manifestar-se de diferentes formas, nos homens e no sexo feminino. Falámos com um especialista, que nos explicou as diferenças, e ouvimos o Alberto e o Ricardo. Ultrapassaram a depressão e contaram, à CRISTINA, o que sentiram.

por MARGARIDA MENINO FERREIRA

A depressão afeta 322 milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde. O sexo feminino possui um risco quase duas vezes maior de desenvolver a doença. Os estudos sugerem ainda que existem algumas diferenças entre os sintomas-padrão exibidos pelos homens e pelo sexo feminino.

A tristeza, falta de motivação, perda de prazer na realização de atividades, alterações no apetite, distúrbios do sono, dificuldade em manter a concentração e sentimentos de culpa são alguns dos sintomas associados à depressão, partilhados por homens e mulheres. No entanto, as mulheres demonstram mais frequentemente sinais visíveis de emoção, como chorar, enquanto os homens tendem a manter-se mais rígidos, estoicos e a revelar menos os seus sentimentos. Esta característica da maioria dos homens torna-os mais suscetíveis a sentimentos de raiva e a condutas comportamentais e verbais mais agressivas, uma vez que não resolvem nem transformam os seus problemas, através da expressão dos sentimentos.

“Regra geral, nos humanos, a raiva é quase sempre o airbag da tristeza”, começa por explicar Miguel Gonçalves, diretor clínico da clínica de psicologia e coaching Learn2Be. “Quando estamos muito irritados, a maior parte das vezes estamos desiludidos connosco próprios ou com os outros, ou seja, estamos tristes com a situação, mas como a tristeza é uma emoção que nos pára, e a raiva é uma emoção que nos faz reagir, acabamos muitas vezes por ficar mais retidos na raiva do que na tristeza”.

Pesquisas revelam que sintomas como a irritabilidade e a raiva são mais prevalecentes entre os homens. “Os homens sofrem com o dobro de ataques de raiva, comparativamente às mulheres. Os investigadores definiram estes ‘ataques de raiva’ como episódios de raiva intensa, desmesurada ou sem motivo aparente”, explica o psicólogo. Já as mulheres exibem mais frequentemente sinais atípicos de depressão, tais como dormir em excesso ou comer em demasia, ao invés de sinais considerados típicos, como insónias e perda de apetite.


Leia o artigo completo na edição deste mês nas bancas
ou na app CRISTINA M (IOS OU ANDROID)

  • Comentários

    Artigos relacionados