O Amor está no ar: 15 dos melhores filmes românticos

por , 9 Fevereiro, 2018

Proibido, feliz, trágico ou não correspondido, o amor é um dos sentimentos mais representados em todas as formas artísticas, e o cinema não é exceção. No mês em que há um dia dedicado aos enamorados, porque não aproveitar um serão no sofá e a assistir a um filme?
A equipa da CRISTINA selecionou 15 dos melhores filmes românticos para assistir em Fevereiro.

Por: Diogo Marques

 

  1. “Luzes da Cidade” (1931)

Numa época em que o cinema falado já era predominante, Charlie Chaplin decidiu escrever, realizar e protagonizar um último filme mudo. Um romance de gestos, olhares e toques entre um vagabundo e uma vendedora de flores cega. Mesmo que esteja cético em ver um filme mudo, dê-lhe uma hipótese. Prometemos que vai valer a pena.

  1. “Casablanca” (1942)

Vencedor de três Óscares, este filme, protagonizado por Humphrey Bogart e Ingrid Bergman, trata a história de Rick Blaine e Ilsa Lund, ex-amantes que se reencontram em Marrocos, um país repleto de refugiados que, na tentativa de fugir ao caos da II Guerra Mundial e ao avanço da força nazi na Europa, procuram uma passagem para a Lisboa, cidade que se mantém neutra. É neste ambiente em que Rick, um cínico e rude exilado americano, terá de tomar uma importante decisão: a sua felicidade ou as centenas de pessoas que aguardam por uma saída do país. Esta história de amor não consumado é um dos maiores clássicos cinematográficos de sempre, sendo pautado por frases memoráveis como: “Of all the gin joints in all the towns in all the world, she walks into mine” e “We’ll always have Paris”.  

  1. “Breve Encontro” (1945)

Realizado por David Lean, narra de forma contemplativa as emoções, a ternura e a dor de um romance ilícito entre dois estranhos casados. Na sequência de um encontro furtuito no café de uma estação de comboio, Laura, mãe de família, apaixona-se por Alec, um médico de meia-idade também ele casado. Não conseguindo conter os seus sentimentos, iniciam uma relação amorosa durante a qual enfrentam a felicidade de estarem juntos e a dor que causam às respetivas famílias.

 

  1. “Antes do Amanhecer” (1995)

O primeiro filme da popular trilogia romântica de Richard Linklater, protagonizado por Ethan Hawke e Julie Delpy, conta a história de Jesse e Céline. Ele, um americano a realizar um Eurorail, e ela, uma estudante francesa de regresso a Paris. Os dois conhecem-se no comboio e a atração é imediata. Consciente do limitado tempo que podem passar juntos, Jesse convence Céline a desembarcar com ele em Viena, cidade que descobrem juntos durante 14 horas, e na qual prometem reencontrar-se ao fim de 9 meses. Será que Jesse e Céline voltariam a estar juntos? A resposta surgiu em 2004, em “Antes de Anoitecer”. 18 anos depois do primeiro encontro, esta trilogia de culto chegou ao fim em 2013, com “Antes da Meia-Noite”.

  1. “Embriagado de Amor” (2002)

Barry Egan (Adam Sandler) odeia a vida. É um tímido e inseguro empresário com ataques de fúria e problemas de interação social, devido aos abusos emocionais provocados pelas suas sete irmãs. Mas a sua vida começa a mudar quando apanha uma harmónica, na rua, e conhece Lena Leonard (Emily Watson), colega de uma das suas irmãs. Realizado por Paul Thomas Anderson, este é considerado o melhor papel da carreira do ator Adam Sandler.

  1. “O Amor É um Lugar Estranho” (2003)

Realizado por Sofia Coppola e vencedor do Óscar de Melhor Argumento Original, conta a história de Bob Harris (Bill Murray) e Charlotte (Scarlett Johansson), dois americanos em Tóquio. Bob é uma estrela de cinema a atravessar uma crise de meia-idade que está na cidade para gravar um anúncio de Whisky, enquanto Charlotte é uma jovem que anda a atrás do marido, um fotógrafo viciado em trabalho. Incapazes de dormir, os caminhos de Bob e Charlotte cruzam-se, uma noite, no do bar do hotel. Este encontro torna-se rapidamente uma improvável amizade. Charlotte e Bob aventuram-se por Tóquio, para tentarem descobrir um novo sentido para as suas vidas

  1. “O Despertar da Mente” (2004)

E se fosse possível apagar da memória as lembranças daquele amor que nos fez sofrer? É esta a questão explorada pelo filme de Michael Gondry, vencedor do Óscar de Melhor Argumento Original, protagonizado por Jim Carrey e Kate Winslet. Joel (Jim Carrey) e Clementine (Kate Winslet) são um casal com personalidades bastante distintas. Joel é tímido e introspetivo; Clementine é aventureira e espontânea. Após uma discussão, Joel é surpreendido com a descoberta de que a namorada resolveu apagar as memórias da sua relação. Desesperado, Joel contacta o inventor do processo para que este lhe elimine as memórias de Clementine. Mas, à medida que a sua memória vai desaparecendo, Joel redescobre o seu amor por ela e, inconscientemente, tenta salvar Clementine de ser «apagada».
Este delicado romance, no qual Jim Carrey apresenta o seu melhor trabalho, vem lembrar-nos que tentar esquecer os motivos de um fracasso amoroso nem sempre é a melhor solução.

  1. “Expiação”, de Joe Wright (2007)

Baseado no aclamado romance de Ian McEwan e realizado por Joe Wright (“Orgulho e Preconceito”), acompanha o romance de Robbie Turner (James McAvoy) e Cecília (Keira Knightley). Devido a uma série de mal-entendidos, Robbie é acusado de um crime que não cometeu, facto que põe em causa a relação e altera de forma dramática o rumo das suas vidas.

  1. “(500) Dias com Summer” (2009)

Tom (Joseph Gordon-Levitt), um romântico escritor, é um pessimista no que diz respeito ao amor. Até que surge Summer (Zooey Deschanel), a rapariga dos seus sonhos. Summer, demasiado realista para acreditar no amor, acaba por deixá-lo 500 dias depois de se cruzarem pela primeira vez. É então que Tom, determinado a compreender o porquê do fracasso, inspeciona os mais marcantes momentos daqueles 500 dias que passaram juntos.

10.“Moonrise Kingdom” (2012)

Decorrendo no Verão de 1965, numa ilha ao largo da costa da Nova Inglaterra, conta a história de dois jovens de 12 anos, Sam e Suzy, que se apaixonam, trocam cartas de amor, fazem um pacto secreto e fogem juntos para um local selvagem. Enquanto os pais de Suzy –Bill Murray e a nomeada deste ano ao Óscar de Melhor Atriz, Frances McDormand-, o chefe dos escuteiros (Edward Norton) e o capitão Sharp (Bruce Willis), os tentam encontrar, uma violenta tempestade irrompe e a pacífica vida dos habitantes da ilha fica virada do avesso.
Um romance cómico escrito e realizado por Wes Anderson, criador de filmes como “O Fantástico Senhor Raposo” e “Grand Budapest Hotel”.

 

  1. “Amor” (2012)

Vencedor do Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, realizado pelo alemão Michael Haneke, é um inabalável olhar sobre o amor em fim de vida, onde é cumprida a máxima “até que a morte vos separe”. Georges e Anne são um casal de octogenários, apaixonados por música e, principalmente, um pelo outro. Um dia, Anne sofre um acidente e o amor que une este casal é posto à prova.
Protagonizado por Jean-Louis Trintignant e Emmanuelle Riva, este filme sobre o amor e a velhice conta ainda com a participação da portuguesa Rita Blanco.

 

  1. “Uma História de Amor” (2013)

Em Los Angeles, num futuro não muito distante, Theodore é um escritor que não consegue superar o divórcio de Catherine, a sua paixão de adolescência. Solitário, Theodore decide comprar Samantha, um programa de inteligência artificial intuitivo que adapta para atender aos desejos do seu utilizador. Espantado pela sua capacidade de aprendizagem, Theodore debate com Samantha sobre questões amorosas e problemas do quotidiano, conversas que se vão convertendo num amor platónico entre um homem e uma máquina. Vencedor do Óscar de Melhor Argumento Original, este romance não convencional, protagonizado por Joaquin Phoenix, Scarlett Johansson e Amy Adams explora a ambígua natureza do amor.

  1. “Carol” (2015)

Baseado no romance de Patrícia Highsmith, decorre em Nova Iorque no início da década de 1950. Therese (Rooney Mara) é uma aspirante a fotógrafa que trabalha numa loja em Manhattan, onde conhece Carol (Cate Blanchett), uma mulher mais velha e sedutora que vive um casamento fracassado. A empatia entre ambas dá lugar a um profundo envolvimento amoroso.

  1. “Viver Depois de Ti” (2016)

Êxito de bilheteira, baseado num best-seller com o mesmo nome, narra a história de Lou (Emilia Clarke), uma rapariga que nunca saiu da aldeia onde vive. Quando fica desempregada, para ajudar a família, vê-se obrigada a aceitar um emprego em casa de Will Traynor (Sam Claflin), um jovem que tinha um estilo de vida alucinante, mas que, depois de um acidente, fica tetraplégico e dependente de uma cadeira de rodas. Will é temperamental e autoritário, mas Lou recusa tratá-lo com complacência, o que dá origem a uma relação que mudará as suas vidas.

  1. “Chama-me pelo teu Nome” (2017)

Atualmente nos cinemas e nomeado a 4 Óscares, este conto que decorre no norte de Itália em 1983, retrata o amor de Elio e Oliver. Elio é um jovem de 17 anos a desfrutar as férias de verão. Oliver é um homem mais velho, académico que chega para ser assistente de Michael, o pai de Elio. Durante 6 semanas, no meio prados verdejantes, lagos e pessegueiros, Elio e Oliver experienciam algo que os marcará para sempre. Uma bonita história sobre o primeiro amor.

 

 

 

  • Comentários

    Artigos relacionados