António Raminho entrevista a mulher

por , 27 Agosto, 2019

Pedimos a António Raminhos que entrevistasse uma das mulheres da sua vida. Não foi preciso pensar muito. O humorista escolheu e decidiu entrevistar Catarina Raminhos, a mulher e mãe das suas três filhas.

por ANTÓNIO RAMINHOS fotografia PEDRO SACADURA maquilhagem LEA MAGUI LOURO cabelos CRISTINA RODRIGUES

ANTÓNIO RAMINHOS – Obrigada, Catarina por teres vindo. (Risos) Por acaso, viemos separados.
CATARINA RAMINHOS – Pois foi.
A.R. – Porque é que resolvi fazer esta entrevista? A Cristina disse: ‘Eh pá, vocês podiam entrevistar uma mulher que admirem’. Eu pensei: ‘Como é que posso ganhar uns pontos? Entrevistando a minha própria mulher. Se calhar, ganhava uns pontos fixes’. Bem, se calhar, depois de ter dito isto, não. (Risos)
C.R. – Diz lá a verdade. Quem é que se baldou?
A.R. – Pensei primeiro: ‘Sofia Ribeiro’. Mas a Sofia não podia. (Risos) Não. Não foi nada disso. Por acaso, o primeiro nome que veio à cabeça foi o teu. Nós temos uma vida que, de uma certa forma, é pública, mas acho que nunca estivemos os dois num programa. Nem a falar assim um com o outro.
C.R. – Estivemos na Missão [Missão 100% português, era um programa da RTP com António e Catarina Raminhos], mas era diferente. Não era a falar de nós. Era uma coisa de casa. E o mais engraçado é que já nos conhecemos há mais de 20 anos, somos os dois jornalistas e nunca nos entrevistámos um ao outro.
A.R. – Pois é. Às vezes, fazes-me uns inquéritos.
C.R. – Isso é porque tu pedes.
A.R. – É tipo Polícia Judiciária. Não é tipo jornalista. Catarina, sabes que nós nunca nos vamos poder separar.
C.R. – Ai não? Então porquê? (Risos) Onde é que isso está escrito?
A.R. – Porque há muitos casais que estão a depositar o seu próprio casamento e a sua fé no nosso.
C.R. – Isso até é verdade. Recebo muitas mensagens de pessoas a dizerem: ‘Por favor, vocês nunca se separem, senão eu deixo de acreditar no amor’.
A.R. – Nunca recebi nada disso.
C.R. – Eu recebo várias.
A.R. – Recebo nudes, mas nunca recebi isso.
C.R. – Estás a ver? Nudes é coisa que eu não recebo.
A.R. – Mentira. Não sejas mentirosa. Eu sei que, quando estiveste em Angola, recebeste nudes de muitos angolanos.
C.R. – (Risos) Sim. É verdade. Eles admiravam muito uma parte especifica do meu corpo. (Risos)


Leia a entrevista completa na revista CRISTINA já nas bancas
ou na app CRISTINA M.

  • Comentários

    Artigos relacionados