As Filhas da Mãe | Das relações complicadas

por , 24 Julho, 2017

Como se existissem as simples… A simplicidade é como o paraíso para os pecadores, existe e persiste, com a condição absoluta de ser quase inatingível. Aqui o quase, é quase tudo, porque dita a luta pela relação.

por Isabel Saldanha

As pessoas apregoam a simplicidade das coisas, o devaneio pelo pôr do sol sem filtros, o enternecimento com o casal de idosos, que passeia de mãos dadas, a gargalhada conjunta, o olhar demorado e mudo, os pés sobrepostos na areia e o sorriso das crianças, mas não conseguimos viver essa simplicidade. É tudo muito complexo. As pessoas são recheadas de histórias, de traumas e de enredos, já para não falar dos múltiplos segredos. Os dias são intensos, povoados de rotinas amargas e sonhos adiados, colegas e patrões irados. As crianças são exigentes, displicentes e nós não somos assim tão diferentes. Neste pântano de variáveis, os heróis lutam todos os dias para se manterem numa relação. Uns reclamam que o amor não chega, outros acusam a ingerência do seu excesso. São tempos difíceis para estar enamorado, para ser correspondido, para estar atento ao outro, sem se ser corrompido.

Conteúdo originalmente publicado na edição de Maio disponível na app (IOS ou ANDROID)
  • Comentários

    Artigos relacionados