A CELULITE TOCA A TODAS

por , 30 Junho, 2017

Há preocupações que, ano após ano, com o aproximar do verão, voltam para atormentar as mulheres. A celulite é uma delas e, diga-se o que se disser, na verdade… toca a todas. Até às magras.

por Xavier Pereira

 

“Depois de três gravidezes e de uma tentativa de deixar de fumar, comecei a acumular celulite na barriga. Tinha para aí uns 38 anos… Fiz o tratamento mais caro que havia na farmácia. Um creme que prometia muitos resultados e que tinha um aplicador de borracha. Aquilo era muito desconfortável e acabei por desistir, uma vez que não estava a ver resultados. Hoje em dia sei que tenho alguma celulite nas coxas. São buraquinhos pequeninos e não são muitos. Acho sobretudo que, com o passar do tempo, vamos relativizando tudo e a celulite é um dos aspetos sobre os quais não vale a pena preocuparmo-nos. Faz parte do nosso corpo. Acho que quase todas as mulheres têm e eu não sou exceção.” - Maria Neves, 56 anos, auxiliar de educação, 52 quilos

“A minha perdição é a comida. Batatas fritas e outros petiscos salgados dão cabo de mim! [risos] E ainda assim, tenho pouca celulite. Já tive mais e houve uma altura que me incomodou bastante. Aí, percebi que tinha de mudar os meus hábitos. Foi quando me inscrevi no ginásio, quando comecei a fazer pequenos trajetos a pé, em vez de usar os transportes, e quando me obriguei a beber muita água. Sinceramente, acredito que é aqui que está o segredo para combater a celulite. Comigo resultou! Perdi imensa e comecei a lidar melhor com a que restou. Sobretudo, na zona das nádegas. (…) Nunca experimentei comprimidos ou cremes milagrosos e hoje sinto-me bem com o corpo que tenho.” - Mariana Barros Cardoso, 23 anos, assessora, 61 quilos

“Confesso que só me comecei a aperceber que tinha celulite a partir dos 30, ou seja, desde há cerca de quatro anos, e acho que tenho lidado bem com a questão. Claro que já passei por dias de neura, acho que todas as mulheres sabem o que isso é [risos]. (…) De facto, a celulite não é algo que me preocupe por si só. Sei que com o aproximar dos meses quentes reparo mais, mas também é porque acho que tenho mais celulite no final do inverno e no início da primavera. A verdade é que concentro muito mais atenções na minha barriga do que nas coxas ou no traseiro. Sinto que os possíveis excessos que eu possa cometer a nível alimentar, se notam mais na minha zona abdominal e isso sim, deixa-me ansiosa. Ter celulite é algo que me preocupa, mas não me tira o sono [risos].” - Cristina David, 34 anos, produtora, 55 quilos

“Infelizmente tenho um bocadinho de celulite, mas já tive mais. Digo infelizmente porque gostava de ter a pele toda lisinha… [risos] Eu faço retenção de líquidos e é isso que se nota mais na zona das coxas. Hoje em dia levo um estilo de vida saudável, mas não foi sempre assim. Até perto dos 27 anos, alimentava-me à base de fastfood e depois comecei a notar muita casca de laranja. Fiz radiofrequência durante uns meses, mas aquilo não deu em nada! Foi aí que mudei quase tudo na minha vida. Os meus hábitos alimentares, a prática de exercício, as horas de sono. Passei a ser muito mais regulada em tudo e só assim é que comecei a ver resultados. Nas minhas redes sociais, alguns seguidores, principalmente mulheres, pedem-me dicas sobre como emagrecer porque assistiram à minha mudança. Eu explico sempre que não há tratamentos milagrosos e que ter um corpo definido é algo que leva muito tempo e requer muito esforço. E mesmo quando estamos perto do que queríamos atingir, continuamos a ter um bocadinho de celulite. Como eu… Faz parte. [risos]” - Seni Silva, 31 anos, blogger, 59 quilos

Este conteúdo foi originalmente publicado na edição de Maio.
  • Comentários

    Artigos relacionados