Consultório | Pergunte ao Dr. Quintino

por , 26 Novembro, 2018

Pode uma figura pública dizer o que pensa?

“É com muita emoção que lhe escrevo, e aguardo com expectativa a sua resposta na NOSSA Cristina. Nestas férias foram muitas as vezes em que levei as conversas, com os meus amigos, para a um tema que não me sai da cabeça. Conversas sempre bastante ricas, com opiniões muito diferentes, e uma clara vontade de todos dizerem mais alguma coisa. Eu vou formando a minha própria opinião, mas gostava de saber a sua: pode uma figura pública dizer o que pensa? “.- Teresa

É sempre bom, quando os leitores nos oferecem o espaço para escrevermos sobre um tema de que sentimos muita vontade de falar. A primeira resposta que lhe vou dar, é: Não! Em relação a cada figura pública, existem muitas pessoas que a seguem, que tomam as suas falas quase sem crítica, que facilmente aceitam e assumem as palavras que essa figura pública verbalizou. A atitude positiva dos seguidores, em relação à figura pública, reduz a crítica e mesmo as defesas próprias, e as ideias escutadas tornam-se, falsamente, as suas próprias ideias. Em relação a seguidores de determinadas faixas etárias, como no caso da adolescência, esta permeabilidade de pensamento é ainda mais evidente, uma vez que os jovens estão exatamente na fase de copiarem os outros, para a construção da sua personalidade. Aqueles que se tornaram mais salientes, na sociedade, facilmente são modelos, uma vez que se imagina terem aquilo que muitos anseiam alcançar. Como certamente entende, as figuras públicas têm sempre também uma vida privada, muitas vezes com aspetos que nada têm a ver com o que os torna figuras públicas, os quais muitas vezes são guiados por inseguranças, medos, rebeldias, e até fraquezas ainda não ultrapassadas. Se, ao dizer o que pensa, a figura pública traz para os seus comentários esse seu lado, naturalmente que pode orientar para a fraqueza, medo e insegurança. E este é o cuidado que deve ter, quando partilha o que pensa.- Dr. Quintino


Leia a crónica completa na edição deste mês nas bancas
ou na app CRISTINA (IOS ou ANDROID)

  • Comentários

    Artigos relacionados