Crónica | Os dentes tortos relacionam-se com personalidades fortes?

por , 29 Junho, 2017

Nos últimos anos, tornou-se bastante comum encontrarmos pessoas a usar aparelho dentário, tanto dos fixos de metal com elásticos coloridos, como – e cada vez mais – dos removíveis e invisíveis, ou seja, o chamado Invisalign. Mas será que todos percebemos o porquê do uso de um aparelho dentário?

POR HUGO MADEIRA, MÉDICO DENTISTA

A resposta mais habitual prende-se com a estética. Queremos dentes bonitos e alinhados, nem muito saídos nem muito para dentro, nem sobrepostos nem demasiado espaçados. E mais: esta ligação à aparência é fortemente associada a crianças e adolescentes. Pois bem, o aparelho vai muito para além da estética e da juventude. Dentes mal posicionados podem ter consequências muito diversas, como por exemplo, dificuldades na fala, na mastigação, na respiração, no sono, na higiene oral, e até podem ser a explicação para dores de cabeça regulares. É, portanto, seguro dizer que corrigir a posição dos dentes tem um impacto direto na melhoria da qualidade de vida, seja em que idade for. Imagine que perdeu um dente na arcada de cima. O dente de baixo vai começar a subir e a deslizar para um dos lados até bater no dente mais próximo e, antes de colocar o implante que substituirá o dente perdido, os outros devem ser movidos até à posição correta.

Na clínica recebemos muitos pacientes que, antes de iniciarem tratamento comigo para colocação de implantes, por exemplo, passam primeiro pelas mãos da Dra. Isabel Jorge, médica dentista com especialidade em ortodontia, para reposicionar corretamente os dentes saudáveis através do uso de um aparelho.

O desalinhamento dentário pode acontecer por herança genética (filhos e pais com o mesmo tipo de mordida) ou através de hábitos nocivos do dia-a-dia (como roer objetos; como uma má postura, como o apoio do queixo na palma da mão, como o uso prolongado da chupeta na infância ou a perda precoce dos dentes de leite ou da dentição permanentes). Também a um paciente com doença periodontal (trata-se do recuo da gengiva e exposição da base que sustenta o dente), e que cuida da mesma, pode ser aconselhado o uso de aparelho. O objetivo será colocar os dentes na posição certa e manter o nível ósseo correto. O mesmo acontece antes da colocação de facetas ou lentes de contacto dentárias – de que falámos na edição passada. Muitas vezes, antes deste procedimento, é necessário criar condições para que seja possível aplicar a lente entre os dentes sem recorrer ao desgaste do esmalte na superfície de cada dente. Nessas situações, pode ser usado, durante apenas alguns meses, um aparelho dentário que guiará os dentes até à posição pretendida, sendo assim um procedimento ainda menos invasivo do que o desgaste.

O uso de aparelho dentário é, portanto, muito mais versátil do que parece à primeira vista, sendo um recurso bastante prático e transversal a todas as especialidades da medicina dentária.

 

Esta crónica foi originalmente publicada na edição de Junho.
  • Comentários

    Artigos relacionados