Dietas e fórmulas milagrosas para emagrecer!

por , 16 Setembro, 2019

Uma festa, um casamento, mudança de trabalho.
A data está a aproximar-se e quer perder aqueles quilinhos a mais. Quer sentir-se bem e transparecer toda a sua autoconfiança. O que fazer? Lembra-se daquela “dieta milagrosa” que a vizinha ou colega de trabalho fez e que deu resultados em tempo recorde. No entanto, nem tudo é o que parece…

por Dr.ª Eva Lau, Médica Especialista em Endocrinologia e Nutrição

As ‘dietas e fórmulas milagrosas’ são aquelas que aparentemente permitem uma rápida perda de peso com pouco esforço. E nada é mais aliciante do que ver os quilos a descer na balança, logo nas primeiras semanas.

São infindáveis as dietas que se auto proclamam como milagrosas. Globalmente, estes planos alimentares regem-se por grandes restrições energéticas, variando na proporção de hidratos de carbono, proteínas e gorduras. Esta distribuição pode, muitas vezes, não ser a adequada e implicar riscos para a saúde.

Quais os riscos das ‘dietas milagrosas’?

  1. Défices de vitaminais e minerais;
  2. Perda de massa muscular. O organismo compensa a restrição energética, indo buscar a energia às proteínas musculares;
  3. Aumento da vontade de comer. A partir do momento que alguns alimentos se tornam “proibidos”, maior poderá ser a vontade de os comer descontroladamente;
  4. Efeitos psicológicos negativos, podendo até potenciar o aparecimento de anorexia ou bulimia;
  5. Efeito “ioiô”, isto é, depois da perda de peso inicial, pode existir uma recuperação muito rápida do peso perdido. Durante o período de privação calórica, o corpo ativa mecanismos hormonais e nervosos para poupar energia e aumentar o apetite. O aumento de peso ocorre novamente quando se retoma a alimentação do quotidiano.

 

E medicação para perder peso?

Atualmente existem em Portugal 3 fármacos aprovados para a perda de peso. Deverão ser sempre um complemento às modificações do estilo de vida e requerem prescrição médica:

Liraglutido

Inibe o apetite, diminuindo a sensação de fome e afetando as escolhas alimentares (menor aptidão por doces);

Naltrexona/Bupropiom

Promove sensação de saciedade, diminui ingestão e vontade de comer;

Orlistato

Impede a absorção de gorduras alimentares (cerca de 30%) durante uma refeição.

Estes são capazes de ajudar efetivamente na redução de peso. Apesar dos seus efeitos estarem cientificamente comprovados, nem todas as pessoas poderão tomar estes medicamentos, devendo ser prescritos exclusivamente após uma avaliação médica detalhada.


Leia o artigo completo na edição deste mês nas bancas
ou na app CRISTINA M (IOS OU ANDROID)

  • Comentários

    Artigos relacionados