Dr. Hugo Madeira | As grávidas e os mitos na saúde oral

por , 3 Maio, 2018

A falta de conhecimento sobre determinado assunto, uma imaginação rica e o medo do desconhecido, são os principais ingredientes na origem de muitos mitos.

Por: Hugo Madeira (médico dentista)

Na nossa sociedade é muito fácil encontrar mitos, ligados a todo o tipo de temáticas, criados não sabemos exatamente por quem, nem onde, quando ou por quê, mas que ganharam relevância ao longo dos tempos, sendo agora do conhecimento geral. A Medicina Dentária não escapou à criação de mitos, e também nós, médicos-dentistas, lidamos regularmente com os mitos trazidos pelos nossos pacientes. Já ouvi inúmeras histórias ao longo da minha carreira, algumas curiosas e até engraçadas, outras preocupantes, que me recordam como é importante levar aos pacientes informação sobre saúde oral. Grande parte dos mitos está, por exemplo, relacionada com as mulheres, mais concretamente com as mulheres grávidas; vejamos alguns: “As grávidas não podem ir ao dentista” – é um mito. Se estivermos a falar de tratamentos dentários, não são aconselhados, em especial durante o primeiro e o terceiro trimestres de gravidez, devido à limitação desejada do uso de raio-x e de anestesia (embora hoje em dia já existam anestesias seguras para a grávida e para o feto). No caso das consultas de Higiene Oral, não há qualquer contraindicação e até se recomendam. “O bebé tira cálcio aos dentes da mãe” – não é verdade.

Leia a crónica completa na edição de Abril na app CRISTINA M (IOS OU ANDROID)

  • Comentários

    Artigos relacionados