Globos de Ouro 2019: uma noite de surpresas

por , 8 Janeiro, 2019

Na cerimónia que marcou o início da temporada de prémios, a comédia “Green Book – Um Guia para a Vida” foi a mais galardoada, mas a noite pertenceu aos ingleses, com a vitória de “Bohemian Rhapsody”. Rami Malek, Olivia Colman, Glenn Close e Christian Bale foram considerados os melhores atores do ano.

Por: Diogo Marques

 

Na madrugada desta segunda-feira, 7 de janeiro, no Beverly Hilton Hotel, foram entregues os Globos de Ouro, prémios atribuídos pela imprensa estrangeira em Hollywood – um grupo de 90 jornalistas/críticos que tem a fama de ser imprevisível na seleção dos seus vencedores. A 76ª edição não fugiu à regra.

LOS ANGELES, CA – SEPTEMBER 17: Sandra Oh (L) and Andy Samberg speak onstage during the 70th Emmy Awards at Microsoft Theater on September 17, 2018 in Los Angeles, California. (Photo by Lester Cohen/WireImage)

Numa gala apresentada por Sandra Oh e Andy Samberg, onde todos pensavam que o aclamado filme de Bradley Cooper, “Assim Nasce uma Estrela” iria dominar a noite, eis que surgiu uma surpresa com sotaque britânico: “Bohemian Rhapsody”, o filme biográfico sobre os Queen, não só venceu o Globo de Ouro de melhor filme, como Rami Malek foi distinguido como melhor ator dramático.

Mas a surpresa foi ainda maior na categoria de melhor atriz dramática, com a vitória da veterana Glenn Close sobre a novata (e aparente favorita) Lady Gaga. Distinguida pelo seu desempenho no filme “A Mulher”, a atriz de 71 anos, emocionada e realmente surpreendida, aproveitou o seu discurso para alertar para desigualdade de género e apelar às mulheres que sigam os seus sonhos:

O que aprendi de toda esta experiência é que nós somos cuidadoras e é isso que se espera de nós. Nós temos os nossos filhos e maridos, se tivermos sorte. Mas temos que encontrar satisfação pessoal. Temos que seguir os nossos sonhos e dizer: ‘Eu posso fazer isto’ e ‘Eu deveria poder fazer isto

 

Ainda no cinema, mas nas categorias de comédia e musical, o grande vencedor foi Green Book – Um Guia para a Vida” (estreia a 24 de Janeiro). O filme baseado numa história verídica venceu os prémios de melhor argumento, melhor ator secundário e melhor filme. No entanto, nas categorias principais de interpretação, as vitórias foram para os britânicos Olivia Colman, em “A Favorita” e Christian Bale, em “Vice”. No seu discurso de vitória, o ator que encarna o ex-presidente dos EUA, Dick Cheney, referiu o desafio de interpretar “uma pessoa sem qualquer carisma” e agradeceu a inspiração ao Diabo: “Obrigado, Diabo, por me dares inspiração para interpretar este papel”, brincou.

76th ANNUAL GOLDEN GLOBE AWARDS — Pictured: Christian Bale, Best Actor – Motion Picture, Musical or Comedy, “Vice” at the 76th Annual Golden Globe Awards held at the Beverly Hilton Hotel on January 6, 2019 — (Photo by: Paul Drinkwater/NBC)

Numa cerimónia pouco politizada, mas com bastantes discursos a apelar à existência de mais diversidade na indústria, é de destacar o filme mexicano “Roma”. Com selo Netflix, o filme de Alfonso Cuarón venceu os prémios de melhor realização e de melhor filme estrangeiro.

Já no lado televisivo, o líder de nomeações, “American Crime Story: O Assassinato de Gianni Versace” foi uma das duas séries a ganhar dois prémios, ao lado de “O Método Kominsky”. O drama de Ryan Murphy ganhou os prémios de melhor ator e melhor mini-série, enquanto a produção da Netflix, arrecadou os prémios de melhor série cómica e de melhor ator, entregue a Michael Douglas.

Entre os dramas televisivos, é de destacar a atribuição de um Globo Ouro à apresentadora da 76ª edição. A atriz Sandra Oh tornou-se a primeira atriz de origem asiática a ganhar mais do que um Globo de Ouro, devido à sua interpretação na série “Killing Eve”.

 

  • Comentários

    Artigos relacionados