Missão (quase) impossível – Tóquio em 48 horas

por , 28 Agosto, 2018

Com mais de 13 milhões de habitantes distribuídos por 23 bairros. Tóquio é uma das maiores e mais extravagantes cidades do mundo. Conhecê-la em 48 horas é difícil, mas não é impossível.

Por: Passagenger6A 

Visitar um templo de 1400 anos, passear junto a personagens de banda desenhada, fazer uma pausa num café com unicórnios gigantes e depois jantar num restaurante com espétaculo protagonizado por robots. Não tente procurar semelhanças com nenhuma outra cidade, Tóquio é aquele melro branco que não admite comparações. No entanto, conhecer esta megalópole, que acolhe cerca de 1/4 da população do Japão, é um desafio mesmo para os viajantes mais experientes. Contasmos-lhe tudo o que não pode perder numa visita express de dois dias.

Dois miradouros sobre Tóquio

O edifício do Governo Metropolitano de Tóquio, cpnhecido como Tochõ, foi construído à semelhança de um chip informático e, por sua vez emulando uma catedral gótica. Situado no bairro de Shinjuku, nos seus dois edifícios principais encontram-se miradouros gratuitos. A 202 metros sobre a cidade, são o ponto de partida perfeito para contemplar, em dias claros, o Monte Fuji. Por outro lado, se o que procura são vistas vertiginosas da capital, há que visitar a Tokyo Skytree, a estrutura mais alta do Japão (634 metros), que é também a torre de comunicações mais alta do mundo.

‘Lolitas’, cosplayers e boutiques

Harajuku é o bairro da moda de Tóquio. A sua coluna vertebral é Omoteando, uma avenida arborizada e ladeada pelas melhores boutiques de luxo do mundo.

A próxima e concorrida pedonal Takeshita é um dos pontos de reunião dos devotos cosplay, um jogo de disfarces. Neste laboratório de tendências, os adolescentes vestem-se como personagens das suas bandas desenhadas, séries e jogos favoritos. Os jovens optam pelos super-heróis, enquanto as raparigas preferem vestir-se de ‘lolitas’. A cinco minutos desta rua popular, vale a pena fazer uma pausa no Kawaii Monster Cafe, uma porta para um mundo de fantasia protagonizado por gatos cor-de-rosa e unicórnios gigantes.

Shibuya, caos e calma

Além de ser um paraíso para os shopaholics, o bairro de Shibuya conta com o cruzamento mais concorrido do mundo pois é atravessado por cerca de um milhão de pessoas por dia. Um dos melhores miradouros para o contemplar encontra-se no primeiro andar do Starbucks, com as suas amplas janelas. Para descansar de toda a atividade frenética, não muito longe o santuário de Meiji irradia paz. Atravessar o oásis florestal de 100 mil árvores que o rodeiam e as portas Torii que o guardam, faz descer a pulsação para desfrutar plenamente deste templo sintoísta.

Néones, tabernas diminutas e robots gigantes

Com o pôr-de-sol, o bairro de Shinjuku transforma-se num festival de luzes néon, principalmente na zona de Kabukicho, conhecido como o ‘bairro vermelho’ de Tóquio. Um dos seus recantos mais especiais é Golden Gai, com ruas estreitas cheias izakayas (tabernas japonesas) tão pequenas que geralmente não cabem mais de dez pessoas em cada uma. Estes estabelecimentos convivem junto a karaokes, love hotels e restaurantes. Um dos mais chamativos ( e deliciosamente surrealista) é  o Robot Restaurant, onde o jantar é animado por robots de três metros de altura que lutam e dançam ao som música sob luz estroboscópica.

A porta dos tronos

No bairro de Asakusa, um dos mais tradicionais da cidade, aprecia-se a arquitectura japonesa nos seus edifícios de baixa altura. O templo Sensõ-ji, que data o ano 628, é o maior e mais antigo da capital.
A sua entrada, protegida pela imponente Kaminarimon, é uma das atrações mais fotografadas de Tóquio. Assim que atravessada, chega-se a uma rua comercial com quase uma centena de pequenas lojas nas quais se pode adquirir um souvenir: kimonos, bolachas de arroz ou até mesmo bolos em forma Doraemon.

Universo geek

O bairro de Akihabarra é uma visita obrigatória para admirar o vasto universo geek da capital japonesa. Os amantes da cultura otaku, nascida no Japão, encontram aqui o seu paraíso entre lojas dedicadas a manga e anime, como o Tokyo Anime Center. Pequenas lojas (duty free) repletas de gadgets convivem com gigantes como Yodobashi Akiba, um dos maiores centros comerciais japoneses dedicados a eletrónica.

Arquitetura de luxo

Chegam a ser pagos mais de 350 mil euros por metro quadrado no bairro mais elitista de Tóquio. Ginza não só alberga as melhores marcas do mundo. Os seus desafios convertem-se em verdadeiros marcos arquitectónicos, como o de Hermès ou Louis Vuitton. Este bairro merece ser visitado ao fim de semana, quando a sua avenida principal, Chuo-dori, fecha ao trânsito (das 12:00 às 17:00). Mais de 200 galerias, teatros e restaurantes suntuosos completam a oferta deste que é o mais luxuoso bairro de Tóquio.

 


Esta é apenas uma das várias sugestões da Tui Portugal para destinos de lua-de-mel, na revista CRISTINA Casamentos.
Saiba mais informações em www.tui.pt

  • Comentários

    Artigos relacionados