O emocionante 2º dia de Rock in Rio-Lisboa

por , 25 Junho, 2018

Menos calor, mais gente e uma chuva de êxitos. Foi assim o segundo dia do mega festival.

Por: Xavier Pereira/Fotografias: Agência Zero

Ao meio-dia em ponto, as portas da Cidade do Rock voltaram a abrir-se para o segundo dia da edição de 2018. Dezenas de festivaleiros repetiram o ritual que vai sendo hábito: correram pelo recinto até à barreira da frente do Palco Mundo. Nas horas seguintes, o número de entradas foi crescendo.

Francisca Bairros, 26 anos, chegou às 17h30 ao recinto, surpreendida pela multidão que encontrou. “O que mais quero ver é a Anitta, mas tenho muito vontade ver Bruno Mars, sei que dá um grande espetáculo”, refere, antes de iniciar a busca por uma caipirinha, para refrescar, enquanto se encaminha para o interior do recinto. Dentro de meia hora, vai dar jeito.

Agir foi o artista responsável por dar arranque a mais uma sequência de concertos no Palco Mundo do Rock in Rio-Lisboa. E que arranque. Bailarinos, um coro, Carolina Deslandes e Manu Gavassi fizeram parte do espetáculo. A brasileira foi uma das surpresas que o artista tinha preparado. Sara Carmo, 14 anos, vem da Azambuja e viveu o momento de forma especial: “Atualmente, é a minha artista preferida e não esperava de todo que aparecesse. Descobri ontem que ela tinha esta música com o Agir, nunca pensei vê-lá hoje, tocada ao vivo.” Especial, também, foi quando o músico chamou um jovem da assistência. Para 85 mil pessoas e em cima do principal palco da Cidade do Rock, Diogo pediu a namorada em casamento. Um momento romântico que fez vibrar o público.

Se o alinhamento de Agir foi recheado de todos os seus grandes sucessos, o de Anitta não foi excepção. A brasileira contagiou com o seu funk e não ficou indiferente ao entusiasmo dos portugueses. “Nunca me senti tão bem recebida num lugar fora do meu país”, havia de confessar a artista. Apesar da pouca interação com o público, Anitta guardou um momento para referir um dos motivos que tornavam aquela atuação especial: “Hoje, quero que todos os funkeiros do Brasil se sintam representados. Vocês não sabem a dificuldade para nós chegarmos aqui, a este palco, e ser recebido como vocês me estão a receber”.

Anitta é a prova de que a fórmula pop ainda resulta. Mensagens de valorização projetadas, grupo de bailarinos irrepreensível nas suas diferenças, alinhamento feito de hits, com refrões de outros sucessos do momento. Nem o #FazGostoso da nossa Blaya faltou. Para os fãs, soube a pouco e ainda houve quem se esforçasse por um encore que não aconteceu. A ausência notada foi Pabllo Vittar que, por estar em Lisboa, e depois da atuação surpresa de ontem no Arraial Lisboa Pride, era muito esperado, mas não apareceu. Ainda assim, toda a atuação de Anitta foi contagiante.

Demi Lovato foi a artista que se seguiu, num concerto com tempo e espaço para todos os seus sucessos. Na assistência, viram-se fãs emocionados em vários momentos. Foi o caso de Oriana Martinho, de 35 anos de idade: “A que ela tocou do piano emocionou-me bastante. Talvez por conhecer a história dela e admirá-la como pessoa”. Demi era, de resto, a artista que Oriana mais queria ver. “Gosto muito dela e achei que ela abriu o coração em palco”, resume, enquanto se refaz das emoções vividas durante o espetáculo.

Para Demi Lovato a noite também terá sido especial. A cantora norte-americana agradeceu a entusiasta audiência e confessou ser a sua primeira vez em Portugal. Pode dizer-se que foi uma estreia muito bem sucedida.

Pouco depois das 23h, era a vez de Bruno Mars. O cantor trouxe todo o seu swag até ao Palco Mundo, numa sequência de músicas onde Treasure e Versace on the floor foram apenas dois dos muitos momentos em que o músico mostrou todo o seu talento.

Já a caminhar para o fim da atuação, Mars havia de confessar: “Rock in Rio, não consigo agradecer-vos o suficiente. Dedico esta música a cada um de vocês”, momentos antes de interpretar Just the way you are. O concerto teve direito a encore. Depois de: “Lisboa, querem mais uma?”, ouviram-se os acordes de UpTown Funk. De novo, o público foi ao rubro. O concerto contou com repetidos efeitos pirotécnicos, muitos passos de dança e a boa-disposição a que o músico já habituou os fãs.

Neste dia é ainda obrigatório falar do talento português representado no Music Valley. Capicua, Sara Tavares, HMB e Deejay Kamala atuaram para milhares de pessoas, comprovando que a música portuguesa está de muito boa saúde.

O segundo dia do Rock in Rio-Lisboa juntou 85 mil pessoas num domingo que, certamente, ficará na memória de quem o viveu. No próximo fim de semana, as portas da Cidade do Rock voltam a abrir-se. The Killers, James, The Chemical Brothers, Katy Perry e Jessie J são os nomes mais sonantes. Serão, de certeza, mais dois dias de muita música.

Pedido de casamento no concerto de Agir Carolina Deslandes foi convidada no concerto de Agir HMB Anitta Anitta Demi Lovato
<
>
Carolina Deslandes foi convidada no concerto de Agir
  • Comentários

    Artigos relacionados