Olá

por , 8 Junho, 2018

“Esta capa dava um filme. Ou não tivesse sido realizada durante o festival de cinema de Cannes. A protagonista é Dolores Aveiro, madeirense, mãe do melhor jogador do mundo. O cenário escolhido pela produtora tinha sido Paris, cidade-luz, onde Portugal se tornou campeão europeu. Todos os “atores” estavam escolhidos, o fotógrafo, também ele francês, um stylist londrino, e restante equipa lusitana. Início das gravações dia 16 de maio, aeroporto de Lisboa. A TAP como companhia aérea. Dia 15, hora de almoço. A produtora, ou seja, a revista CRISTINA, recebe uma chamada. Tivemos de alterar tudo. A Chopard, uma das mais famosas marcas de alta joalharia, queria entrar no filme. Em Cannes. Quando o previsto era Paris. Numa hora alterou-se todo o guião, menos a história do filme. Essa estava escrita desde o dia em que Dolores nasceu. Embarcámos com ela em Lisboa e logo se sentou na nossa mesa e fez parte da equipa. Dolores fala sem filtro, sem medos, de uma forma tão natural que até se estranha. Nós não nos esquecemos que é mãe do Ronaldo. Ela sim.”

Fotografia: Nicolas Gerardin

Leia o editorial completo na edição deste mês nas bancas ou na app CRISTINA M (IOS OU ANDROID)

  • Comentários

    Artigos relacionados