Perceba a polémica sobre os transexuais nos EUA

por , 31 Julho, 2017

Nos últimos dias, a internet foi inundada com mensagens de apoio à comunidade transexual. Anónimos, políticos e outras figuras públicas, apelaram à união em torno da diferença e à valorização de cada um. O motivo: as mais recentes declarações de Donald Trump.

Por Xavier Pereira

Foi na quarta-feira da semana passada, dia 26 de julho, que o Presidente dos Estados Unidos da América anunciou, numa sequência de três tweets, que os transexuais estavam proibidos de servir qualquer ramo das Forças Armadas norte-americanas.

Para justificar a decisão, Trump disse ter consultado “generais e peritos militares” que concordaram com a medida. O magnata disse que os militares “devem estar concentrados na vitória decisiva e esmagadora” e que, por isso, “não podem ser sobrecarregados com os elevados custos médicos e com a perturbação que implicaria acolher indivíduos transgénero”.

Desde logo, as reações não se fizeram esperar. A comunidade LGBTI criticou a medida e gerou-se uma verdadeira onda de apoio. Várias celebridades saíram em defesa da minoria que, mais uma vez, foi alvo de uma decisão polémica de Trump. A cantora Lady Gaga disse que os tweets do Presidente tinham “colocado em perigo a vida de pessoas no território dos Estados Unidos e no exterior, que servem o país”. Já a atriz Blake Lively, mostrou-se defensora da igualdade, através da sua conta de Instagram, e  partilhou ainda a petição, que corre na internet, contra a medida do presidente (change.org). A modelo Cara Delevingne foi outra das vozes que criticou Donald Trump, que acusou de não saber governar o país.

Esta questão surge depois de, em fevereiro, o líder dos EUA ter suspendido a norma, implementada por Barack Obama, que permitia aos alunos transexuais utilizarem a casa de banho e vestiário em função do género com o qual se identificavam.

Agora, nova polémica com o mesmo alvo. Por enquanto, tudo não passou de uma série de três tweets. Mas só por enquanto. Um general das Forças Armadas norte-americanas disse que o Pentágono não irá aplicar nenhuma nova medida até que existam diretrizes concretas nesse sentido. Certo é que, a julgar pela indiferença de Trump às críticas, as novas normas devem surgir em breve. É esperar para ver.

 

Fotografia: Hunter Abrams in OUT

 

  • Comentários

    Artigos relacionados