Prostituta com prazer

por , 26 Junho, 2019

Esta mulher começou a ter sexo com homens para sobreviver. Gostou do que foi vivendo e optou por não fazer outra coisa na vida. Prefere a palavra ‘acompanhante’ à palavra ‘prostituta’. Ganha quatro mil euros por mês.

Por Sofia Peixoto

Mónica começou a prostituir-se cedo, tinha entrado na faculdade. Eram os seus 18 anos, era a experiência de uma cidade nova. Nascida em Viseu, Mónica percebeu rapidamente que não teria condições para se sustentar sozinha em Lisboa. Era precisa fazer dinheiro, era preciso não sobrecarregar os pais.

“Ser acompanhante – desculpa, mas não vou dizer ‘prostituta’ – surgiu na minha vida através de uma amiga, de Beja, que estava na mesma situação. A faculdade terminou e continuei”.

Hoje, com 37 anos de idade, Mónica diz que recebe “homens por marcação”. Nunca andou pelas ruas de Lisboa. “Fui parar a uma discoteca, naquela altura ainda se dizia ‘boîte’, e fui aprendendo. Não tenho qualquer arrependimento, tenho uma vida boa, mantenho os meus pais, a minha sobrinha que está a estudar e não me queixo. Poderia ter decidido ser outra coisa, mas isto era fácil e cómodo, e bem pago, portanto posso dizer que escolhi ser acompanhante e escolhi esta vida”.


Leia o testemunho completo na revista CRISTINA já nas bancas
ou na app CRISTINA M.

  • Comentários

    Artigos relacionados