Roberta Medina: “Nunca quis ser insubstituível”

por , 15 Maio, 2018

Roberta Medina é o rosto do Rock in Rio Lisboa, mas sonha ser mais. Este texto resulta de uma conversa sobre o presente, que não deixou de parte o futuro. Esse, na verdade, passará por Portugal, ou não fosse Lisboa a cidade onde a empresária se sente em casa.

POR: Xavier Pereira

Quando celebrámos os primeiros 30 anos do Rock in Rio, começámos a olhar para os 30 anos seguintes”. Roberta Medina

Roberta Medina é quem, para os portugueses, comanda todas as operações daquele que é tido como o maior evento de música do mundo. A história de um cruza-se com a de outro, uma vez que foi aos 21 anos de idade que a filha de Roberto Medina se juntou à equipa, ainda hoje liderada pelo pai.

A edição que acontece em junho, em Lisboa, volta a ser um marco no percurso do Rock in Rio. “Vamos ter tudo novo! O Palco Mundo, a área VIP e a Rock Street não mudam de sítio, mas, de resto, é tudo novo!”. O entusiasmo está-lhe estampado no rosto e sente-se na voz, ao longo de quase uma hora de conversa.

No dia da entrevista concedida à CRISTINA, Roberta teve várias reuniões. A estrutura da Cidade do Rock já estava em construção, e a equipa trabalhava a todo o gás. Naquele dia, como em todos os outros, a empresária, com 40 anos de idade, acompanhou tudo o que se ia passando. “A maior novidade deste ano é trazer o mundo digital para o evento. Queremos pôr as pessoas em contacto com novas indústrias, como o gamming, que mobiliza mais recursos do que o cinema e a música juntos, por exemplo”. Mas não só: “Para nós, é um desafio trazer o YouTube para cima de um palco”, revela Roberta.

Tudo isso acontece no Super Bock Digital Stage o qual, ao mesmo tempo que pisca o olho a todos os que se interessam por essa área, procura dá-la a conhecer aos mais desatentos. “Queremos conectar pessoas e pô-las a viver experiências coletivas”, resume. Tendo sempre o objetivo de as entreter.

“Quando celebrámos os primeiros 30 anos do Rock in Rio, começámos a olhar para os 30 anos seguintes”, afirma a brasileira. Para isso, foram feitas análises de consumo, e estudos de mercado, que indicaram o caminho a seguir: “ter uma oferta de entretenimento mais variada e mais sofisticada”, resume a responsável. Algo que a edição deste ano já comprova.

Além da aposta no mundo virtual, existem muitas outras novidades. O TimeOut Market, o Pop District, um maior investimento na Rock Street e, também, o palco Music Valey são outros dos pontos destacados por Roberta Medina. “O palco Music Valey vai ter uma programação que começa ao meio-dia e só termina às duas da manhã. É o primeiro palco non-stop do Rock in Rio. Vamos começar com pool parties, passamos para concertos e terminamos com atuações de DJ’s. As novidades comprovam o esforço de toda a equipa, no sentido de reinventar o evento, que veio mudar o panorama dos festivais de verão em Portugal, desde 2004, data da estreia na capital portuguesa.

 


Leia a entrevista completa na edição deste mês, nas bancas
ou na app CRISTINA M (IOS ou ANDROID).

 

  • Comentários

    Artigos relacionados