The Meyerowitz Stories (New and Selected) – O entretenimento da disfuncionalidade familiar

por , 17 Outubro, 2017

Quem é que nunca teve uma relação complicada ou estranha com um familiar? É esta a questão que Noah Baumbach procura explorar em “The Meyerowitz Stories”. O filme que estreou em Maio, na competição Palme d’ Or do Festival de Cannes, chega agora à plataforma de streaming, Netflix.

Por: Diogo Marques

Noah Baumbach, um dos maiores nomes do cinema independente americano, é conhecido por apresentar filmes sobre Nova Iorque, famílias disfuncionais e personagens neuróticas, que evocam os clássicos “Manhattan” e “Hannah e as suas Irmãs” de Woody Allen.

“The Meyerowitz Stories” conta a história de uma família nova-iorquina que, durante 40 anos, viveu marcada pelos estados de alma do seu patriarca. Howard Meyerowitz (Dustin Hoffman), um escultor que nunca atingiu o sucesso e que agora, já septuagenário e no seu quarto casamento com a alcoólica Maurren (Emma Thompson), é um egocêntrico narcisista preocupado com a posteridade do seu legado. Neste sentido, os seus três filhos– Danny (Adam Sandler), a irmã Jean (Elizabeth Marvel) e o meio-irmão Matthew (Ben Stiller) reencontram-se com o intuito de organizar uma exposição retrospetiva da carreira do pai.

Imbuído de um estilo literário, o filme é divido em capítulos, um para cada filho, explorando a sua relação com Harold, elemento central de todos os conflitos da narrativa. Com um guião bem escrito, “The Meyerowitz Stories” é um rigoroso trabalho elíptico, em que cada ponto de vista das personagens, vai clarificando os restantes. Afinal de contas, todas elas vêem a sua vida definida pela monstruosa figura paternal. Ou seja, à medida que no primeiro capítulo vamos conhecendo Danny, a raiva e frustrações de Matthew ou Jean, vão tornando-se mais claras, e vice-versa.

Entre exposições, refeições desconfortáveis, lutas e reconciliações, “The Meyerowitz Stories” é um catálogo extremamente divertido da disfuncionalidade que marca a família Meyerowitz: Dustin Hoffman, aos 80 anos, apresenta-se incrivelmente virtuoso na figura do pai autoritário, ocasionalmente agressivo e distante; Ben Stiller é fiável e neurótico no papel de um consultor financeiro de sucesso. Mas o maior destaque vai para Adam Sandler. O ator cujo o nome e carreira são sinónimos de comédias pouco conseguidas, surge estranhamente comovedor, emotivo e profundo na pele do músico frustrado Danny – numa das suas melhores performances desde da participação, em 2002, no filme “Embriagado de Amor” de Paul Thomas Anderson.

Para além da escrita e realização inteligentes de Noah Baumbauch, e das fortes interpretações de um elenco de luxo, é de destacar o disruptivo trabalho de edição de Jennifer Lame (também responsável por “Manchester by the Sea”, o filme com a montagem mais marcante de 2016). Marcado por divertidas justaposições, com cenas curtas e transições bruscas que reforçam a ideia presente no título. Apesar de estarmos perante um filme coeso sobre uma história familiar, este é em última instância, um conjunto de várias histórias que são selecionadas, cortadas e interconectadas.

“The Meyerowitz Stories” é até à data, um dos melhores filmes originais da Netflix. É um filme percussivo, com diálogos rápidos e personagens fortes que contrabalançam entre o humor e drama, apresentando assim uma universalidade que conquista a empatia do espectador.

Como referiu Noah Baumbach na conferência de imprensa, em Cannes: “É esta a maneira como vejo o mundo. Os filmes devem ser engraçados e tristes, leves e sérios. Porque a vida é assim”.

Classificação: 4/5

 

  • Comentários

    Artigos relacionados