Mama: aumentar ou não?

por , 12 Dezembro, 2019

Quando perguntámos à Sofia se voltava a tomar a mesma decisão, respondeu-nos sem hesitações: “Claramente! Todos os dias!” Mas o que leva uma rapariga de 17 anos a colocar implantes mamários? Numa conversa descontraída e informal, a Sofia partilhou connosco os constrangimentos por que passou numa adolescência que, em alguns momentos, ficou marcada pelo facto de não ter maminhas.

Por Duarte Rosa, Nuno Fradinho (Cirurgião Plástico) e Nuno Maria (Cirurgião Plástico)

Até que ponto é que a falta de peito é uma limitação para uma mulher?
Embora existam mulheres que colocam implantes mamários por questões estéticas, muitas outras fazem-no por necessidade, para estar em equilíbrio consigo próprias e com a sua autoestima. Apesar de ter colocado os implantes mamários mais cedo do que é comum, a Sofia já tinha idade para perceber o que é ser mulher e em que medida afectava a sua vida o facto de praticamente não ter peito.

A opinião médica da dupla de cirurgiões da Mymoment

O desenvolvimento da mama, na adolescência, é um marco importante para as raparigas. Por também ser uma fase em que, geralmente, estas dão muito relevo às opiniões dos outros e começam a tomar consciência dos seus corpos, é natural que se comparem com as outras jovens e mulheres. Por isso, quando alguém foge à “regra”, facilmente se geram desconfortos físicos e psicológicos, havendo um impacto social e na autoestima.
Quando o desenvolvimento se faz rapidamente, ou as mamas atingem um volume grande (hipertrofia), pode haver constrangimentos e a adoção de posturas pouco ergonómicas (ombros deslocados para a frente), por forma a disfarçar o tamanho da mama. Também é comum que se evitem atividades que evidenciem os contornos do corpo, como a prática de desporto ou a ida à praia.


Leia o artigo completo na revista CRISTINA deste mês, nas bancas ou na app CRISTINA M.
Solicite mais informações na Clínica MyMoment

  • Comentários

    Artigos relacionados